Inscrições abertas para o seminário virtual “Políticas culturais e participação cidadã”

 

O seminário virtual “Políticas culturais e participação cidadã”, que se realizará entre 16 de setembro e 7 de outubro, durante o 4º Encontro de Redes IberCultura Viva, é uma parceria do programa com a Faculdade Latino-americana de Ciências Sociais (FLACSO), sede Argentina, dentro da articulação do Curso de Pós-graduação Internacional em Políticas Culturais de Base Comunitária, ministrado desde 2018. 

Este espaço de formação e debate reúne noções de políticas culturais, com especial ênfase nas questões de direito, cidadania e comunidade, analisando o papel do Estado e dos movimentos sociais e dos cidadãos/ãs como agentes de transformação.

Para participar, é preciso se inscrever no Mapa IberCultura Viva. O prazo de postulação começa nesta terça-feira 25 de agosto e se encerra no sábado 5 de setembro, às 18:00 (hora de Brasília e Buenos Aires). Podem postular pessoas dos 11 países membros do programa IberCultura Viva: Argentina, Brasil, Chile, Costa Rica, Colômbia, Equador, El Salvador, Espanha, México, Peru e Uruguai. A seleção contempla até 120 vagas, repartidas equitativamente entre os países participantes.

As pessoas postulantes devem trabalhar em organismos públicos de cultura, ser gestores/as culturais independentes em atividade ou membros de organizações culturais de base comunitária ou de povos originários. Não podem participar as pessoas que tenham sido bolsistas do Curso de Pós-graduação Internacional em Políticas Culturais de Base Comunitária (FLACSO-IberCultura Viva) em 2018, 2019 ou 2020. 

As aulas

O seminário se realizará durante quatro semanas através da plataforma Moodle, localizada em www.flacso.org.ar, com um encontro sincrônico uma vez por semana (1 hora de vídeo expositivo, 30 minutos para perguntas) e com trabalho em fórum de debate e reflexão, com tutores. Será mantido um fórum aberto durante a formação, incentivando o debate e a reflexão a partir dos encontros sincrônicos com as/os docentes. 

 

Aula 1.  Políticas Culturais.  Docentes: Paula Mascías / Belén Igarzabal (Argentina)

Esta aula faz um passeio pelas noções de políticas culturais, com especial ênfase nas questões de direito, cidadania e comunidade. Serão abordadas as seguintes temáticas: Políticas culturais e cidadania, culturas e território, estado e organizações sociais, direitos culturais, políticas culturais e comunidades.

 

Aula 2. Cultura de Base Comunitária. Docente: Doryan Bedoya (Colômbia)

Nesta aula serão propostos os principais debates e teorias existentes em torno das políticas culturais de base comunitária. Cultura viva comunitária. História e conceitualização, novas formas de organização cultural comunitária, incidência política das organizações culturais comunitárias, abordagem e intervenção em território. 

 

Aula 3. Estratégias culturais e políticas de desenvolvimento. Docente: Víctor Vich (Peru)

Esta aula busca examinar os processos de tomada de decisão e o desenho de estratégias de desenvolvimento baseadas em projetos e políticas culturais. Para isso, reflexiona-se sobre o componente político das decisões e sua irredutibilidade, ao mesmo tempo em que se problematiza o vínculo entre cultura e desenvolvimento e analisam-se estratégias de transformação baseadas na potencialidade da cultura.

 

Aula 4: Ferramentas de planejamento e participação social. Docente: Marcela País Andrade (Argentina)

En esta clase exploramos herramientas diversas para la planificación de acciones en territorio que permiten diseñar un abordaje complejo y en forma de nodos. En conjunto estas herramientas permiten construir tramas significativas para el desarrollo de las ciudades con toda su potencia, reconociendo, en primera instancia, lo que ya existe.

 

Quem são os facilitadores

 

Paula Mascías (Argentina) 

Licenciada em Gestão da Arte e da Cultura pela Universidad Nacional de Tres de Febrero (UNTREF). Cursou especialização em Administração das Artes na Faculdade de Ciências Econômicas da Universidade de Buenos Aires (UBA) e mestrado em Política e Gestão Local na Universidade Nacional de San Martín. Atualmente, dirige o Lab Cultura + Território, da área de Comunicação e Cultura da FLACSO – Sede Argentina. Há mais de 20 anos cria e impulsa processos de participação social e desenvolvimento territorial. Tem planejado e coordenado programas socioculturais em bairros em diferentes comunas da Cidade de Buenos Aires e o Conurbano Bonaerense desde a modalidade Território + Organização Social, e elaborado estratégias de abordagem barrial em distintas partes do país, em conjunto com governos, empresas e organizações sociais. Também tem ministrado cursos e oficinas em diferentes âmbitos e participado de encontros e congressos nacionais e internacionais.

  

Belén Igarzabal (Argentina) 

Licenciada em Psicologia, tem mestrado em Jornalismo pela Universidade de San Andrés. Atualmente realiza o doutorado em Ciências Sociais de FLACSO, onde se especializa na análise de meios de comunicação, audiências e gênero. Em 2009 teve uma estadia de estudos e pesquisa em Sciences Po – Paris. É diretora da Área Comunicação e Cultura da FLACSO – Sede Argentina. É coordenadora acadêmica da pós-graduação virtual “Gestão cultural e comunicação” e diretora das pós-graduações virtuais “Políticas Culturais de Base Comunitária” e “Educação, imagens e meios” (em colaboração com a  área de Educação). Faz parte do Grupo de Trabalho CLACSO “Epistemologias decoloniais, territorialidades e cultura”. É professora das matérias “Teoria da Comunicação” e “Huellas de la transformación digital” na Universidade de San Andrés. Integra o Conselho de Cultura da Cidade de Buenos Aires.

 

Doryan Bedoya (Colômbia) 

Poeta, administrador educativo, gestor cultural. Cofundador do coletivo Caja Lúdica Guatemala em 2001 e da Rede Guatemalteca de Arte Comunitária em 2004. Membro fundador do Movimento de Arte Comunitária Centro-americano MARACA em 2005, e integrante da equipe coordenadora do Conselho Latino-americano de Cultura Viva Comunitária. Faz parte do Conselho Acadêmico de Caja Lúdica, em aliança com a Escola Superior de Arte da Universidade de San Carlos de Guatemala. Conta com especializações em Descentralização da Educação, Diplomacia Cultural, Projetos Culturais e Cooperação Internacional.

 

Víctor Vich (Peru) 

Professor principal na Pontifícia Universidade Católica do Peru e na Escuela Nacional de Bellas Artes. Foi professor convidado em Harvard, Berkeley e Madison, nos Estados Unidos. Foi membro do Conselho Diretivo do Serviço de Parques de Lima (SERPAR) e assessor em temas de política cultural em distintas instituições peruanas e da América Latina. Atualmente dirige um mestrado de Estudos Culturais. É autor de vários livros, entre eles Desculturizar la cultura: la gestión cultural como forma de acción política (2014) e Poéticas del duelo: ensayos sobre arte, memoria y violencia política (2015).

 

 

Marcela País Andrade (Argentina) 

Licenciada em Sociologia, doutora em Filosofia e Letras (Área Antropologia) e pós-doutora pela Universidade de Buenos Aires (UBA). Técnica nacional em recreação pelo Instituto de Tiempo Libre y Recreación do Governo da Cidade de Buenos Aires. Trabalha como pesquisadora adjunta do Conselho Nacional de Pesquisas Científicas e Técnicas (CONICET) no Instituto de Ciências Antropológicas da Faculdade de Filosofia e Letras (ICA-FFyL). É professora regular e pesquisadora na carreira de Trabalho Social da Faculdade de Ciências Sociais da UBA (FSOC-UBA), onde dirige diversos projetos de  pesquisa. Também é docente de pós-graduação na FLACSO (Área Comunicação e Cultura – Sede Argentina), no mestrado de Comunicação e Cultura de FSOC-UBA, e no mestrado em Cultura Pública da Universidad Nacional de las Artes (UNA). Foi assessora e formadora em Gestão Cultural e Cultura Comunitária para a Direção Nacional de Formação Cultural do Ministério de Cultura (2013-2019).

 

 

 

Confira o regulamento: https://bit.ly/3jds3cb

Inscrições:https://mapa.iberculturaviva.org/

Consulta: programa@iberculturaviva.org

 

Leia também:

Como inscrever-se no seminário virtual “Políticas culturais e participação cidadã”

 

Inscrições abertas para o seminário  “Cultura comunitária, mulheres, gêneros e diversidade”

 

Nesta quinta-feira 27 de agosto começa o prazo de inscrições do seminário virtual “Cultura comunitária, mulheres, gêneros e diversidade”, que o programa IberCultura Viva realiza de maneira colaborativa junto à Direção de Artes do Ministério de Cultura do Peru,  a Direção Nacional de Cultura do Ministério de Educação e Cultura do Uruguai, e a Secretaria Geral Ibero-americana (SEGIB). Esta atividade faz parte do 4° Encontro de Redes IberCultura Viva, que se realizará de forma virtual entre 8 de setembro e 15 de outubro de 2020.

O seminário apresenta o enfoque e a perspectiva de gênero, a fim de que as pessoas participantes possam incorporar noções que ajudem à consecução da equidade entre diversidades sexuais e de gênero (DSG), com o objetivo de transversalizar ações que promovam o respeito e a inclusão no desenvolvimento das políticas culturais de base comunitária.

 

Inscrições 

As inscrições estarão abertas no Mapa IberCultura Viva até 6 de setembro, às 18h (hora de Brasília). As pessoas postulantes devem trabalhar em organismos públicos de cultura, ser gestores/as culturais independentes em atividade ou membros de organizações culturais de base comunitária ou de povos originários.

Podem participar pessoas dos 11 países membros do programa IberCultura Viva: Argentina, Brasil, Chile, Costa Rica, Colômbia, Equador, El Salvador, Espanha, México, Peru e Uruguai. A seleção contempla até 120 vagas. Além de repartidas equitativamente entre os países participantes, as vagas devem ser divididas entre pessoas vinculadas a organizações culturais comunitárias e pessoas vinculadas a governos locais. 

 

Módulos

As aulas serão realizadas em espanhol, entre 16 de setembro e 7 de outubro, em sessões virtuais semanais, às quartas-feiras, das 15h às 17h, considerando o horário de Brasília e Buenos Aires (Argentina). Este encontro terá 1 hora e 30 minutos de vídeo expositivo, e 30 minutos para perguntas. Será mantido um fórum aberto durante a formação, incentivando o debate e a reflexão a partir dos encontros sincrônicos com as/os docentes. Será utilizada a plataforma Moodle, localizada em https://formar.cultura.gob.ar/.

– Módulo 1: Introdução: panorama geral sobre enfoque e perspectiva de gênero. Docente: Lucía Alvites (Peru).

Quarta-feira 16 de setembro

 

-Módulo 2: Revisões teóricas (Gênero, Diversidade, Novas Masculinidades, Interseccionalidade). Docente: Lucía Alvites (Peru).

Quarta-feira 23 de setembro

 

-Módulo 3: Processos impulsados desde a sociedade civil e as agendas de incidência para a inclusão da perspectiva de gênero e diversidade nas políticas públicas. Docente: Victoria Contartese (Uruguai-DNC/MEC).

Quarta-feira 30 de setembro

 

-Módulo 4: Transversalização da perspectiva de gênero nas políticas públicas. Docente: Claudia Briones (Espanha-SEGIB).

Quarta-feira 7 de outubro

 

Quem são os facilitadores

 

Lucía Alvites (Peru) 

Mestre em estudos de gênero e cultura pela Universidade de Chile. Socióloga pela Universidad Nacional Mayor de San Marcos. Especialista e consultora em temas de gênero para entidades públicas e privadas e organismos internacionais. Docente da Universidad Nacional Mayor de San Marcos e outros espaços acadêmicos. Diretora do Instituto Ciudadanía y Democracia. Autora de diversas pesquisas e publicações.

 

Victoria Contartese (Uruguai) 

Formada em Ciência Política, tem diploma de especialização em Marketing Político e Direção de Campanhas. Atualmente, curso o mestrado em Ciências Humanas – Estudos Latino-americanos na Faculdade de Humanidades e Ciências da Educação da Universidad de la República. Trabalha na Direção Nacional de Cultura (DNC-MEC) há 10 anos, onde tem se desempenhado em projetos como o Programa de Atenção a Coletivos Vulneráveis de Cidadania Cultural e o Sistema de Informação Cultural. Tem realizado cursos e seminários sobre políticas públicas, gênero, direitos humanos, feminismos latino-americanos, políticas culturais e diversidade cultural, entre outros.

 

Claudia Briones (Espanha) 

Coordenadora de Gênero da Secretaria Geral Ibero-americana. Anteriormente desempenhou funções como administradora dos portfólios regionais para América Latina e Caribe, Europa e Ásia Central no Fundo Fiduciário das Nações Unidas para Eliminar a Violência contra a Mulher, e como especialista de programas na área de Políticas de Violência contra as Mulheres na ONU Mulheres (Nova York). Também foi analista de programas no Escritório Sub-regional de UNIFEM para México, América Central e República Dominicana, coordenando a linha de trabalho em HIV/AIDS e programas vinculados ao empoderamento econômico das mulheres. Também trabalhou na Agência Espanhola de Cooperação ao Desenvolvimento (AECID) como coordenadora de gênero do Escritório Técnico de Cooperação em Honduras, e na Fundación Género y Sociedad, na Costa Rica, como técnica de projetos em gênero e migração.

 

 

Inscrições abertas para o seminário sobre Patrimônio Cultural Imaterial

 

De 16 de setembro a 14 de outubro, durante o 4º Encontro de Redes IberCultura Viva – Edição Especial, será realizado o seminário virtual “Introdução ao Patrimônio Cultural Imaterial”, organizado pelo Centro Regional para a Salvaguarda do Patrimônio Cultural Imaterial da América Latina (CRESPIAL) em colaboração com o programa. 

As pessoas interessadas em assistir ao seminário poderão inscrever-se a partir desta segunda-feira 24 de agosto na plataforma Mapa IberCultura Viva. Poderão participar pessoas dos países membros de CRESPIAL e IberCultura Viva, num total de 17 países (*). O número de participantes por país será de sete pessoas, somando ao todo 119. As inscrições estarão abertas até 4 de setembro. 

Os participantes podem ser tanto funcionários/as públicos/as dos países indicados como membros da sociedade civil interessados no Patrimônio Cultural Imaterial (PCI). Além de repartidas equitativamente entre os países participantes, as vagas devem ser divididas entre pessoas vinculadas a organizações culturais comunitárias e pessoas vinculadas a governos locais. Para participar, é necessário ter conhecimento básico em Patrimônio Cultural Imaterial (noções gerais) e manejar bem o espanhol. 

 

Os módulos

O seminário será realizado de maneira virtual e gratuita durante cinco semanas através da plataforma Moodle, que se encontra em https://formar.cultura.gob.ar/. As sessões serão em espanhol, às quartas-feiras, a partir das 11:00 no horário do Peru (13:00 de Argentina e Brasil, 18:00 da Espanha). Este encontro sincrônico uma vez por semana terá duas horas de duração e um trabalho de fórum de debate e reflexão, com tutores. Será mantido um fórum aberto continuamente durante a formação, incentivando o debate e a reflexão a partir dos encontros com os docentes.

O primeiro módulo, a cargo de Miguel Hernández Macedo (Peru), contará com uma introdução, alguns conceitos-chave sobre Patrimônio Cultural Imaterial (PCI), e uma apresentação da Convenção para a Salvaguarda do Patrimônio Cultural Imaterial da UNESCO. Os módulos seguintes abordarão as temáticas “Políticas públicas para a gestão e salvaguarda do PCI” (a cargo de Luisa Sánchez, Colômbia); “Participação comunitária no âmbito da salvaguarda do PCI” (Adriana Molano Arenas, diretora geral do CRESPIAL), e “Medidas e ferramentas de salvaguarda do PCI” (Lucas dos Santos Roque, Brasil). A quinta sessão, em 14 de outubro, será para as conclusões e a avaliação das sessões anteriores. 

O seminário faz parte do Programa de Fortalecimento de Capacidades do CRESPIAL, que  busca fortalecer as capacidades humanas e institucionais de gestores públicos, comunidades portadoras, ONGs, entre outros atores vinculados à gestão e salvaguarda do patrimônio cultural imaterial, através da cooperação regional e promovendo a participação comunitária como condição para a salvaguarda e a governança cultural.

 

Sobre o Crespial

O CRESPIAL tem como missão apoiar as atividades de salvaguarda do Patrimônio Cultural Imaterial dos países da América Latina, de acordo com o espírito da Convenção para a Salvaguarda do Patrimônio Cultural Imaterial da UNESCO (Convenção de 2003). O Centro vem implementando iniciativas voltadas para fomentar o fortalecimento de capacidades nacionais. Entre elas, atividades de assessoria, capacitação, formação e desenvolvimento de materiais, com o objetivo de fortalecer as capacidades tanto dos representantes dos países membros do Centro como das instituições aliadas e das mesmas comunidades encarregadas de velar pelo Patrimônio Cultural Imaterial. 

 

Sobre a plataforma

Para inscrever-se neste seminário virtual é necessário registrar-se primeiro como agente cultural no Mapa IberCultura Viva. Esta plataforma livre, gratuita e colaborativa permite o registro de dois tipos de agentes: individual e coletivo. Por agentes individuais compreendemos as pessoas físicas, e por agentes coletivos, as organizações culturais comunitárias, entidades, povos originários, coletivos, agrupações e instituições. No caso desta convocatória, é obrigatório registrar o perfil de agente individual (a pessoa física que será responsável pela inscrição). 

Uma vez concluído o perfil de agente, deve-se clicar em “Editais” (na parte superior da tela) e buscar o arquivo que aparece com o título do seminário para iniciar a inscrição. Aqui está um guia sobre o registro de agente na plataforma: . 

 

(*) Países participantes: Argentina, Brasil, Bolívia, Chile, Cuba, Colômbia, Costa Rica, Equador, El Salvador, Espanha, Guatemala, México, República Dominicana, Paraguai, Peru, Uruguai e Venezuela.

 

Quem são os facilitadores 

 

Adriana Molano Arenas (Colombia) – Diretora geral do CRESPIAL

Antropóloga com especialização em Políticas Culturais e Gestão de Artes, com experiência de trabalho na elaboração e implementação de políticas públicas participativas em temas culturais. Também dirige projetos de fortalecimento do tecido social desde a perspectiva patrimonial no âmbito do desenvolvimento sustentável com comunidades afro, indígenas e camponesas. Coordenou o grupo de patrimônio cultural imaterial da Direção de Patrimônio do Ministério de Cultura da Colômbia de 2008 a 2015. Tem desenvolvido consultorias para a UNESCO e é especialista da Estratégia Global de Fortalecimento das Capacidades Nacionais para a Salvaguarda do Patrimônio Cultural Imaterial na América Latina e no Caribe.

 

Miguel Ángel Hernández Macedo (Peru) 

Antropólogo com estudos de pós-graduação em Gerência Social. Especialista em patrimônio cultural imaterial com 12 anos de experiência no Ministério de Cultura do Peru, como coordenador principal na elaboração de expedientes técnicos para a inscrição de elementos do patrimônio cultural imaterial na Lista Representativa do Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade da UNESCO. Conta com diversas publicações sobre expressões culturais peruanas, incluindo os livros “Cozinha e Identidade: a Culinária Peruana como Patrimônio Cultural Imaterial” e “El Q’eswachaka de Canas. Engenharia e tradição nas comunidades de Quehue”. Tem sido facilitador de oficinas e cursos sobre Patrimônio Cultural Imaterial no Peru e na América Latina e representante peruano ante organismos internacionais relacionados ao patrimônio vivo.

 

Luisa Sánchez (Colômbia) 

Antropóloga. Mestre em Antropologia Social e doutora em Sociologia pelo Instituto de Altos Estudos da América Latina IHEAL-Paris 3. Atualmente é professora, pesquisadora e diretora do Departamento de Antropologia da Pontificia Universidad Javeriana de Bogotá. Tem se concentrado na pesquisa das dinâmicas históricas, políticas e populacionais das regiões da Amazônia e a Orinoquia colombianas, com ênfase em processos migratórios para contextos urbanos. Foi assessora do Grupo de Patrimônio Cultural Imaterial no Ministério de Cultura da Colômbia. Ali trabalhou as linhas de Memória e Patrimônio, Pesquisa e Inventários. Nos últimos anos tem se especializado na análise comparada e na avaliação de políticas culturais, participando como consultora internacional em vários trabalhos do CRESPIAL, em cujo site pode-se consultar sua última publicação, “Miradas al PCI de América Latina, avances y perspectivas“.

 

Lucas dos Santos Roque (Brasil) 

Antropólogo. Mestre em Ciências Sociais com especialização em Patrimônio Imaterial e Comunidades Deslocadas de maneira compulsória. Tem 20 anos de experiência como técnico e coordenador na elaboração de pesquisas e trabalhos na área ambiental e cultural. Coordenou e executou diversos diagnósticos participativos e planos participativos de desenvolvimento comunitário, e também inventários de Patrimônio Cultural Imaterial (PCI). Na Estratégia Global de Fortalecimento de Capacidades da UNESCO, tem facilitado várias oficinas para a implantação das políticas de salvaguarda do PCI e outros temas relacionados. No CRESPIAL, lidera a elaboração do Plano de Diálogo e Fortalecimento de Capacidades da instituição, assim como a coordenação da elaboração dos materiais pedagógicos previstos neste Programa. 

 

Confira o regulamento: https://bit.ly/2CU2oWw

Inscrições: https://mapa.iberculturaviva.org/oportunidade/146/

Consultas: programa@iberculturaviva.org  

 

Leia também:

Como inscrever-se no Seminário virtual “Introdução ao Patrimônio Cultural Imaterial” 

 

 

IberCultura Viva lança enquete para agentes culturais sobre os impactos comunitários da pandemia 

A partir da contingência sanitária que se vive, diversas ações vêm sendo implementadas para favorecer o acompanhamento das/dos agentes culturais durante este período. A “Enquete para agentes culturais da região ibero-americana sobre os impactos comunitários da pandemia de Covid-19”, que hoje está sendo lançada, é uma iniciativa do programa IberCultura Viva – em articulação com a Secretaria de Cultura do Governo do México – para sistematizar os levantamentos que vêm sendo levados adiante nos países da região. 

Esta proposta soma-se à organização do 4º Encontro de Redes IberCultura Viva, que se realizará em formato virtual entre 8 de setembro e 15 de outubro, como uma das ações pela cultura comunitária em tempos de pandemia. O propósito é gerar um diagnóstico sobre o impacto comunitário e laboral do setor cultural e, por outro lado, reunir informação sobre as necessidades e propostas manifestadas pelas/os agentes culturais para que, uma vez terminada a pandemia, se possa reanimar o setor cultural, especialmente no que diz respeito à cultura comunitária. 

A enquete foi elaborada pela Direção Geral de Vinculação Cultural, da Secretaria de Cultura do Governo do México, com a colaboração do Sistema de Informação Cultural do Ministério de Cultura da Argentina, e aportes do Ministério das Culturas, das Artes e do Patrimônio do Chile e do Ministério de Cultura e Patrimônio do Equador.

Para montá-la, foi feita uma revisão de enquetes, questionários e instrumentos realizados por instituições públicas de cultura na região ibero-americana e outras partes do mundo, com a finalidade de identificar dimensões de informação e boas práticas na captação de informação sobre os impactos no setor cultural. Depois, identificaram-se dimensões analíticas e perguntas derivadas para dar lugar à estruturação do questionário.

Após revisar os formulários elaborados em países como Chile, Argentina, Peru, Equador e República Democrática do Congo, assim como na União Europeia, realizou-se uma proposta com 66 questões divididas em cinco dimensões. São elas: 1) Identificação de agentes culturais e atividades culturais; 2) Contexto da comunidade com relação à Covid-19; 3) Impactos da pandemia na vida laboral e cotidiana; 4) Necessidades das e dos agentes culturais durante e depois da pandemia, 5) Cultura Comunitária.

 

A quem se dirige

A enquete é dirigida a agentes culturais ibero-americanos. Ou seja, aquelas pessoas, coletivos e organizações da sociedade civil que realizam uma atividade cultural, entendida como prática artística e/ou práticas culturais, vinculada ao ciclo cultural, nos 22 países(*) da região. 

O questionário estará disponível on-line para as pessoas interessadas até 30 de outubro. Também será enviado às organizações culturais comunitárias selecionadas nos editais lançados por IberCultura Viva en 2017, 2018 y 2019, y a las personas seleccionadas en las convocatorias del Curso de Posgrado Internacional en Políticas Culturales de Base Comunitaria FLACSO-IberCultura Viva. Os resultados serão publicados em dezembro de 2020.

Participe! Aqui está a enquete

https://forms.gle/NJkEtgusMUMjH3or5

 

(*) São países ibero-americanos: Andorra, Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, Cuba, Equador, El Salvador, Espanha, Guatemala, Honduras, México, Nicarágua, Panamá, Paraguai, Peru, Portugal, República Dominicana, Uruguai, Venezuela.