Conversatório “Educação popular, arte e transformação social” reúne 12 representantes de projetos comunitários 

O conversatório que se realizará nesta terça-feira 22 de septiembre no 4º Encontro de Redes IberCultura Viva abordará dois pilares das políticas culturais de base comunitária: a educação popular e a arte para a transformação social. Este encontro virtual se propõe como um espaço de diálogo entre representantes de projetos comunitários que levam adiante práticas artísticas e pedagógicas com impactos transformadores na sociedade.

Serão dois bate-papos, às 14h e às 17h (hora de Brasília, cada uma com a participação de seis pessoas convidadas e um moderador. Um total de 10 países estará representado nestes painéis. As pessoas convidadas são educadores/as populares, arte-educadores/as e/ou gestores/as culturais que além de apresentar suas experiências nas comunidades onde vivem ou trabalham, deverão debater temas como “o que caracteriza a arte para a transformação social?” (toda arte é por si transformadora?) e as perspectivas do  papel do Estado para favorecer os processos da arte para a transformação social na América Latina.

 

PAINEL 1 -Terça-feira 22 de setembro, 14h (hora de Brasília)

Lila Wolman – Asociación Isauro Arancibia (Argentina) 

Educadora popular, alfabetizadora e psicóloga social. Fundadora da escola Isauro Arancibia e parte da equipe de coordenação que leva adiante seu projeto pedagógico. É professora do ensino primário. Realizou especializações em Educação Popular e um magistério para Adultos e Adolescentes. Sobrevivente do ex CCD El Vesubio, trabalha em busca de memória, verdade e justiça.

Site: www.isauroarancibia.org.ar

Facebook: https://www.facebook.com/isauro.arancibia

Instagram: https://www.instagram.com/isauro_arancibiaok/

 

Ana Cachimuel – Escuelita de Música Yarina (Equador) 

Diretora da Escola de Música Andina Yarina, a qual, sob o abrigo do Centro Intercultural Comunitário Yawar Wawki, nasceu com o objetivo de pesquisar os ritmos e cantos tradicionais kichwas e oferecer um espaço de formação musical para os meninos e meninas das comunidades da província de Imbabura, fortalecendo a identidade dos povos andinos por meio da música.

Sitio Web: www.emayarina.com

Facebook: https://www.facebook.com/EscueladeMusicaYarina

Instagram: https://www.instagram.com/inticuri

 

Layly Castillo Lucena – Organización Masaya (Costa Rica) / Processo: Removernos 

Educadora com mais de 15 anos de experiência, tem se dedicado a compartilhar e aprender conhecimentos em diversos cenários educativos, assumindo papéis como coordenadora  pedagógica e diretora de organizações educativas, educadora de primeira infância e cofundadora da Asociación Masaya, onde durante os últimos anos tem se dedicado à elaboração e facilitação de programas de formação socioeducativos com foco na aprendizagem cooperativa como estilo de vida. Como mãe, é uma defensora dos direitos da infância e promove a brincadeira livre através de “Encuentros para sentir y crear”, empreendimento do qual é fundadora. 

Site: http://www.asociacionmasaya.org/

Facebook: https://www.facebook.com/MasayaTeatroConvivencia/

 

Rocío Orozco Sánchez – Colectivo CulturAula (México) 

Formada em Psicologia Social, conta com estudos de mestrado em Ciências da Educação. Atualmente é mestranda do programa de Gestão e Desenvolvimento Cultural da Universidade de Guadalajara, e se desempenha como diretora do coletivo CulturAula, fundado em 2010 com a finalidade de vincular arte, educação, cultura e comunidade. É coordenadora nacional do Nodo México da Rede Ibero-americana de Animação Sociocultural. Tem desenvolvido e coordenado projetos de formação para jovens, entre os quais se encontra o Seminário em Animação Sociocultural para jovens do Município de Magdalena (Jalisco), assim como a elaboração de diversas oficinas de ludo-pedagogia e arte para a transformação social. Sua pesquisa acadêmica enfoca os desafios e perspectivas da cultura comunitária com a finalidade de implementar um modelo de formação integral.

 

Camilo Álvarez (Uruguai) Educador popular, com cursos realizados na Multiversidad Franciscana de América Latina. Coordenador do Curso de Educação Popular realizado pelo Centro Martin Luther King e o Seminário Bíblico de Fe. Militante social. Integrante da organização Somos Barrios. Integrante de Grameen Uruguay. Atual coordenador do SOCAT (Serviço de Orientação, Consulta e Articulação Territorial), em convênio com o Ministério de Desenvolvimento Social.

 

 

Takaiúna – Ponto de Cultura Cidade Livre (Brasil) 

Atriz e arte educadora comunitária há vinte anos. Mestranda em Artes Cênicas pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU), possui especialização em Políticas Culturais de Base Comunitária pela Faculdade Latino-americana de Ciências Sociais (FLACSO-Argentina). Desenvolve atividades no Ponto de Cultura Justina, pesquisando e realizando ações no Equador, México, Bolívia e Argentina. Fundado em 2016, o Ponto de Cultura Justina se articula em rede com artistas e grupos de várias regiões brasileiras e de países da América Latina. Trabalhadoras rurais, professoras, alunos e alunas da rede escolar são alguns dos públicos que as ações do Justina impactam.

 

Guillermo Valdizán Guerrero (Peru) 

Coordenador do programa Pontos de Cultura do Ministério de Cultura do Peru. Sociólogo (Universidad Nacional Mayor de San Marcos), artista visual (Escuela Nacional Superior Autónoma de Bellas Artes del Perú – ENSABAP), em processo de apresentação de tese no Mestrado de Antropologia Visual (Pontificia Universidad Católica del Perú). Docente do Curso de Pós-graduação Internacional de Políticas Culturais de Base Comunitária. Coordenador desde 2005 das Oficinas Educativas e Culturais. Foi coordenador do programa Cultura Viva Comunitária da Municipalidade de Lima (2012-2014) e de Atividades Culturais do Lugar da Memória, da Tolerância e da Inclusão Social (2015), além de diretor de Promoção Cultural da ENSABAP (2015-2017). É membro da campanha cidadã “Más Cultura Más Perú”.

 

PAINEL 2 – Terça-feira 22 de setembro, 17h (hora de Brasília)

Manuela González Ursi – Iniciativa Atalaya Sur Internet Comunitaria (Argentina) Coordenadora do projeto de apropriação tecnológica e conectividade Atalaya Sur, que tem por objetivo a apropriação popular da tecnologia, entendendo que o acesso desigual, tanto em termos materiais como simbólicos, reforça outras desigualdades estruturais.

Facebook: https://www.facebook.com/proyectoatalayasur/

Twitter: https://twitter.com/proyatalayasur

 

Jorge Blandón – Red Latinoamericana de Teatro en Comunidad 

Mestre em Arte Dramática com ênfase na Direção Cênica pela Universidade de Antioquia. Cofundador da Corporação Cultural Nuestra Gente, organização articulada à Rede Colombiana e Latino-americana de Teatro em Comunidade.

 

 

Cristian Mayorga Hevia – Centro Cultural y Colectivo La Mandrágora (Chile) 

Ator e fundador do Centro Cultural e Coletivo Teatral La Mandrágora. Esta organização social comunitária funciona desde 2001 no Chile, e a partir de 2004 se instala no povoado de Achupallas de Viña del Mar, onde seus integrantes mantêm uma biblioteca comunitária e  realizam oficinas artísticas e socioeducativas de forma voluntária e gratuita. La Mandrágora também promove anualmente o Encontro Internacional de Teatro “Achupallas un Cerro de Cultura” (ETACC).

Página web: www.mandragora.cl

Facebook: www.facebook.com/www.mandragora.cl/

 

Flory Salazar Vargas – Organização Respirarte (Costa Rica) / Processo: Carbunculo Cineclub 

Trabalhadora social de profissão, gestora sociocultural por vocação. Cofundadora e presidenta há quatro anos da Associação Cultural de Guácimo Respirarte, uma organização comunitária sem fins lucrativos que trabalha pelo desenvolvimento artístico e sociocultural do cantão de Guácimo. 

Facebook: https://www.facebook.com/asoculturaguacimorespirarte/

Instagram: https://www.instagram.com/respirarte_guacimo/

Youtube: https://www.youtube.com/channel/UCjs0SR77F4x8J3RBx4EjulQ 

 

Delia Rendón –  Laboratório de Teatro Campesino e Indígena Yucatán (México) 

Atriz, professora fundadora e subdiretora do Laboratório de Teatro Camponês e Indígena Yucatán, parte do Programa Cultura Comunitária da Secretaria de Cultura do Governo do México. Também trabalhou no Museu Nacional de Culturas Populares em Tlayacapan, Morelos, e em diversas prefeituras da Cidade do México.

 

Valeria Galarza (Equador)

Educadora e pesquisadora. Mestre em educação. É candidata a doutora na Arts, Health and Society Division de The European Graduate School. Conta com 16 anos de experiência no acompanhamento educativo em diversos contextos. Tem elaborado e acompanhado processos de capacitação, autoformação e pesquisa educativa para o fortalecimento del perfil profissional de educadoras e educadores, bem como no campo de desenho pedagógico institucional. Colaborou como membro pesquisador na rede Another Road Map for Art Education. Participou como docente titular do programa de profissionalização das carreiras de Educação Básica e Educação Intercultural Bilíngue da Universidad Nacional de Educación, na província de Sucumbíos.

 

Walter Romero (El Salvador) 

Gestor cultural, administrador de empresas. Foi diretor executivo da Associação Cultural Tiempos Nuevos Teatro (TNT). Atualmente é o diretor das Casas da Cultura e Parques Culturais do Ministério de Cultura de El Salvador e REPPI (representante nacional) para IberCultura Viva.

 

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *