Posts

Divulgada a lista de participantes da oficina “Audiovisual comunitário, narrativas descentralizadas”

 

Vinte e duas pessoas de nove países foram selecionadas para participar da oficina virtual “Audiovisual comunitário, narrativas descentralizadas”, que se realizará no 4º Encontro de Redes IberCultura Viva com duas sessões de três horas, nos sábados 19 e 26 de setembro. A oficina tem como docentes Eloisa Díez (La Sandía Digital, México) e Miguel Hilari (Bolívia), e é dirigida a pessoas interessadas na criação audiovisual e com experiência em algum de seus processos (criação, produção, promoção e/ou exibição). 

As inscrições estiveram abertas no Mapa IberCultura Viva entre 3 e 14 de setembro. Podiam postular pessoas dos 11 países membros do IberCultura Viva. Além de divididas equitativamente entre os países, as vagas deveriam ser repartidas entre agentes culturais independentes e agentes culturais vinculados a coletivos e organizações culturais comunitárias.

Das 45 inscrições enviadas, foram selecionadas 3 da Argentina, 3 do Brasil, 2 do Chile, 2 da Colômbia, 2 de Costa Rica, 3 do Equador, 2 de El Salvador, 3 de México e 2 do Peru. Foram levados em conta na seleção os motivos informados pelas pessoas candidatas para participar da oficina, prevalecendo aquelas que se encontram desenvolvendo ou têm interesse em desenvolver um projeto comunitário que retome narrativas descentralizadas em seu processo criativo. Também se tomou em consideração que houvesse pelo menos 50% de mulheres, presença de pessoas afrodescendentes ou de povos indígenas, e diversidade regional dentro dos países.

As sessões

As 22 pessoas selecionadas para participar da oficina receberão um correio eletrônico com nomes de usuários e acessos para a sala de aula virtual. A primeira sessão será ministrada por Eloisa Díez, no próximo sábado 19, e a segunda por Miguel Hilari, em 26 de setembro. As duas sessões terão três horas de duração, começando às 11h e terminando às 14h (horário de Brasília e Buenos Aires).

Eloisa Diez é roteirista, produtora de rádio e documentarista. Tem se especializado na elaboração e implementação de processos de criação comunitários, participativos e colaborativos para a transformação social com enfoque de gênero. Feminista, tem trabalhado na formação e na criação de narrativas transformadoras de e sobre mulheres. Desde 2011 faz parte de La Sandía Digital, onde se encarrega de direção, roteiro, som, pesquisa e formação audiovisual.

Miguel Hilari estudou cinema em La Paz (Bolívia), Santiago (Chile) e Barcelona (Espanha). Seus filmes “El corral y el viento” (2014), “Compañía” (2019) e “Bocamina” (2019) retratam brechas geracionais, identidade indígena e movimentos entre campo e cidade na Bolívia. Foram exibidas e premiadas em festivais internacionais como Visions du Réel, Cinéma du Réel, Oberhausen, Transcinema, FIDOCS e outros. Trabalhou em vários filmes bolivianos e esteve ligado à organização do Festival de Cine Radical. Ministra oficinas de cinema em escolas rurais.

 

 

Confira a lista de pessoas selecionadas:

Informação às interessadas – Processo de seleção

 

Leia também

Inscrições abertas para a oficina virtual “Audiovisual comunitário, narrativas descentralizadas”